Difusão GP

Gestão de Projetos | Treinamentos | Consultoria

WSJF – Um método simples e prático para priorizar projetos

Priorização com WSJF

Colocando o dinheiro da sua empresa nos projetos certos!

Foto: Olga De Lawrence

Imagine que você tem uma quantia em dinheiro reservada para realizar alguns projetos pessoais. Essa quantia é suficiente para você realizar apenas um projeto. Você não sabe ao certo qual deve ser realizado e teme que apenas a sua intuição não seja suficiente para definir onde aplicar seu suado dinheiro.

Acrescente uma variável fundamental na equação acima, o tempo. Será que devo executar um ou outro projeto primeiro. O fato de financiar o projeto A e consequentemente deixar o projeto B para depois pode trazer algum impacto?

Agora imagine o mesmo cenário nas empresas. Diversos projetos que precisam ser realizados e um orçamento limitado para realizar aquele que trará mais benefícios. Como definir qual ou quais os projetos que devem ser realizados primeiro?

Time to Market

Foto: Uros Jovicic

Considerando a preocupação crescente das empresas com o tempo de desenvolvimento de novos produtos. Uma competitividade cada vez maior por um mercado ávido por inovações. O Time to Market se torna um fator crítico de sucesso das empresas.

O Time to Market representa o tempo que a empresa leva desde o inicio do desenvolvimento até a entrega do produto para a venda. Empresas com foco em Time to Market entregam diversos produtos ou funcionalidades para seus clientes ao longo do ano. Isso as torna competitivas e as faz sobreviver no mercado.

Resolver questões como a priorização de projetos torna-se fundamental, mas nem sempre é fácil. Existem diversos métodos que podem ser utilizados com sucesso. Eu tenho usado o WSJF com relativo sucesso. Principalmente devido a sua praticidade e simplicidade, e é este método que vou te apresentar neste artigo.

O método que vou apresentar é chamado de WSJF (Weighted Shortest Job First), que foi apresentado por Dean Leffingwell e que você também pode consultar aqui. Dean é o criador do SAFe®, o framework mais utilizado para escalar métodos ágeis atualmente e que venho me aprofundando.

O WSJF prioriza a análise do custo do atraso e do tamanho do trabalho para cada projeto. Para isso você deve atribuir notas para os projetos avaliando alguns critérios.

Valor para o negócio (VN)

Avalie o quanto aquele determinado projeto trará de valor para o negócio. Não se preocupe em quantificar o valor exato. Você deve ter uma noção que te permita comparar com os demais projetos e definir qual deles trará mais ou menos valor.

Criticidade de tempo (CT)

Este critério deve ser avaliado conforme a urgência para o lançamento do produto do projeto. Alguns produtos precisam ser lançados com mais urgência que outros, este é o critério que deve ser utilizado aqui.

Redução de risco ou Habilitação de oportunidade (RRHO)

Aqui você deve avaliar quanto aquele projeto reduz o risco geral da empresa. Deve também avaliar se o projeto trará uma boa oportunidade de negócio. Cuidado para não confundir com a urgência. Aqui estamos avaliando apenas se eles reduzem algum risco ou permitem explorar uma oportunidade futura.

Tamanho do trabalho (TT)

Este critério deve ser avaliado levando-se em conta tanto o esforço necessário para realizar o projeto quanto o tempo para entrega-lo. Cuidado com projetos extremamente complexos que podem gerar atrasos, você deve avaliar o projeto como um todo.

Como fazer

Para facilitar a comparação, você deve usar a sequência de Fibonacci modificada (1, 2, 3, 5, 8, 13 e 20). Comece pelo primeiro critério avaliando todos os projetos, depois passe para os demais. Deve haver pelo menos um projeto com o valor “1” em cada critério. Ele servirá de base de comparação para os demais e deve ser preenchido primeiro.

O custo do atraso de cada projeto será obtido pela soma dos três primeiros critérios. O valor do WSJF será obtido pela divisão desta soma pelo tamanho do trabalho. Simples assim!

Ao final você irá obter um valor único para cada projeto, o WSJF. Quanto maior este valor, mais prioritário é o projeto e teoricamente. Segundo a sua ponderação ele deve ser executado primeiro que os outros.

Exemplo simples

Vamos retomar o primeiro exemplo, dos projetos pessoais. Imagine que você está entre três opções. A primeira delas é realizar um treinamento dentro da sua área de atuação. A segunda é fazer a troca dos quatro pneus do seu carro. Já a terceira é trocar seu celular por um novo.

As três opções têm aproximadamente o mesmo custo. Você tem verba apenas para uma delas. Elas são completamente diferentes. Como selecionar aquela que deve ser realizada primeiro?

Utilizando os conceitos apresentados:

Custo do Atraso (CA) = VN + CT + RRHO

WSJF = CA / TT

Veja o exemplo no quadro abaixo como ficaria este exemplo.

Projeto VN CT RRHO TT WSJF
Fazer Curso 20 5 5 5 6
Trocar Pneus 1 13 20 3 11,33
Trocar Celular 3 1 1 1 5

Neste exemplo simples e didático, a troca do pneu deve ser priorizada pois traz o maior valor para o WSJF. É óbvio que este é um exemplo irreal, mas serve para você compreender o poder deste método.

Pronto para a ação?

Experimente fazer este exercício com o seu portfólio de projetos. Reúna sua equipe e proponha uma discussão sobre os projetos que são conduzidos por sua empresa. Será que de fato os projetos mais importantes estão sendo priorizados?

Se quiser saber mais sobre WSJF, clique aqui. Consulte também outros posts do nosso blog aqui. Caso queira apoio da Difusão GP para aplicar este método, entre em contato conosco por aqui ou nos envie um e-mail.

info@difusaogp.com

Gostou do artigo, curta, compartilhe, comente…